ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA VISITAM AS OBRAS DO CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS

ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA VISITAM AS OBRAS DO CONTORNO VIÁRIO DE FLORIANÓPOLIS

Estudantes da graduação e pós-graduação da área de engenharia civil da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizaram uma visita de estudos às obras do Contorno Viário de Florianópolis no dia 17 de dezembro.

O grupo de 40 acadêmicos, acompanhado por professores e profissionais da Litoral sul, percorreu as obras desde o Trecho Intermediário até o Trecho Norte C, localizado em Biguaçu, tendo a oportunidade de observar de perto a dinâmica de uma obra de grande porte como o Contorno.

“A maioria dos alunos já passou o ciclo básico e agora está nas disciplinas mais práticas como estradas, obras de terra e fundações. Estão vindo em um momento certo, pois viram o teórico e agora veem a prática” explica o professor Marcos  Noronha, do departamento de Engenharia Civil da UFSC. “Ainda mais num dia como hoje, depois de uma enxurrada, quando se aprende muito vendo a obra com estes imprevistos” conclui.

A primeira parte da visita foi uma apresentação detalhada sobre o projeto e o andamento das obras do Contorno, que hoje empregam mais de 600 profissionais e, ao todo, irá gerar 2.500 empregos. Durante a apresentação, que aconteceu na sede da Autopista Litoral Sul, em São José, o Superintendente de Investimentos do Contorno Viário e também engenheiro civil, Marcelo Modolo explicou as técnicas que estão sendo empregadas na construção do Contorno, mostrou mapas e dados de obras de arte de engenharia, além de imagens aéreas que mostram a evolução das obras. Na visita a campo, os estudantes seguiram o percurso da obra em um ônibus, parando na localidade de Três Riachos, em Biguaçu e tirando as dúvidas sobre a terraplanagem e, a técnica de geodreno.

Chamou atenção dos futuros engenheiros o tamanho da estrutura, equipamentos, número de trabalhadores e a logística envolvida na obra.  “Gostei muito. Eu nunca havia visitado uma obra desse porte, com todos esses equipamentos e essa equipe profissional. Para mim foi muito interessante, principalmente ver na prática, na obra, aquilo que foi mostrado na apresentação do projeto”, relata Duane Silveira, aluna da 7ª fase de Engenharia Civil.

“Muitas vezes a gente não tem conhecimento de todo trabalho em equipe que precisa ser feito, das dificuldades – como o clima, o impacto das chuvas na terraplenagem, por exemplo – e como isso afeta o planejamento geral da obra” complementa Humberto Sales, também da 7ª fase.  “Notamos a preocupação e as ações relacionadas às questões de segurança, controles e qualidade com que é conduzida a obra. Eu e vários colegas tivemos essa percepção, por exemplo, ao comparar com visitas a outras obras, principalmente quando são obras com controle público, onde a dinâmica é bem diferente”, completa.

Já Guilherme Silva, mestrando de Engenharia de Transportes considera que a visita foi relevante tanto para o aprendizado dos alunos como para compreender a dimensão da importância de uma obra com essa no contexto da sociedade, “é importante para a sociedade conhecer uma obra que ainda irá salvar muitas vidas no trânsito”, diz.